Pesquisadores encontram uma proteína natural que impede alergias, anafilaxia e doenças autoimunes




Especialistas da Australian National University (ANU) descobriram uma maneira natural de o corpo prevenir doenças autoimunes e alergias. O processo é impulsionado por uma proteína do corpo chamada neuritina.


“Encontramos esse mecanismo absolutamente fascinante em nossos próprios corpos que interrompe a produção de anticorpos nocivos que podem causar autoimunidade ou alergias”, disse a autora sênior da ANU, Professora Carola Vinuesa.


“Há anos se sabe que a neuritina tem um papel no cérebro e no sistema nervoso, mas encontramos uma abundância de neuritina no sistema imunológico e seu mecanismo - que nunca foi descrito na biologia.


“Mostramos que é um dos mecanismos do nosso sistema imunológico para prevenir a autoimunidade e a alergia e agora que temos as evidências, podemos usar isso para tratamento”.


Os pesquisadores dizem que começaram há mais de cinco anos para preencher uma lacuna de conhecimento sobre como o sistema imunológico funciona, seguindo um palpite de que a neuritina pode ter uma função reguladora para interromper alergias e doenças autoimunes. O estudo descobriu que a neuritina pode prevenir a produção de anticorpos patogênicos.


“É uma descoberta incrível. Vimos que, na ausência de neuritina, há maior suscetibilidade à morte por anafilaxia, destacando seu papel na prevenção de alergias com risco de vida ”, disse a primeira autora, a pesquisadora da ANU, Dra. Paula Gonzalez Figueroa.


Para pessoas com alergias, quando o sistema imunológico reage exageradamente aos alérgenos - como pólen, poeira ou manteiga de amendoim - ele produz anticorpos chamados Imunoglobulina E (IgE).


As alergias acontecem quando o corpo produz IgE excessiva em resposta a substâncias inofensivas, levando à liberação de histamina que causa reações alérgicas.


“Descobrimos que a neuritina previne a formação excessiva de IgE, que é tipicamente associada a algumas formas comuns de alergia e intolerâncias alimentares”, disse o professor Vinuesa.


Muitas doenças autoimunes são causadas ou exacerbadas por anticorpos que destroem nossos próprios tecidos e causam doenças autoimunes como lúpus e artrite reumatoide.


“Existem mais de 80 doenças autoimunes, em muitas delas encontramos anticorpos que se ligam aos nossos próprios tecidos e nos atacam em vez de alvejar patógenos - vírus e bactérias”, disse a Dra. Paula Gonzalez-Figueroa.


“Descobrimos que a neuritina suprime a formação de células plasmáticas nocivas, que são as células que produzem anticorpos prejudiciais. ”


Os pesquisadores esperam que a descoberta agora constitua a base de novos tratamentos.


“Isso pode ser mais do que um novo medicamento - pode ser uma abordagem completamente nova para tratar alergias e doenças autoimunes”, disse o professor Vinuesa.


“Se essa abordagem fosse bem-sucedida, não precisaríamos esgotar células imunológicas importantes nem amortecer todo o sistema imunológico; em vez disso, precisaríamos apenas usar as proteínas que nosso próprio corpo usa para garantir a tolerância imunológica.


“Alergias e doenças autoimunes estão aumentando e esperamos que isso nos dê uma nova maneira de enfrentá-las”.


Fonte: Australian National University